Mamãe
 | 

Mamãe

TEATRO EM MOVIMENTO APRESENTA MAMÃE, DE ÁLAMO FACÓ

O Teatro em Movimento – em sua XVI edição-, em uma Co-realização do Sesiminas, recebe em Belo Horizonte, “Mamãe”, com texto, atuação e direção de Álamo Facó, que traz à cena a sua história real, após a mãe, a arquiteta Marpe Facó descobrir um tumor cerebral que a levou ao óbito, 100 dias após o diagnóstico. Com a colaboração na direção de César Augusto, montagem reflete sobre os tabus que permeiam a morte, as variações do consciente e os limites do amor entre mãe e filho. Não se atendo a uma realidade documental,  Álamo escreveu o texto “Mamãe”, em 2015, baseado num processo de criação que denominou “A Síntese do Relevante”. A peça dá voz à personagem Marta que, perdendo suas faculdades, começa a expandir sua consciência a limites inesperados. “Depois da Marpe, já perdemos alguns amigos para a mesma doença. Há, sim, o desejo por entender como lidamos com esses momentos e a crença de que Marpe tinha uma visão de mundo relevante. Mas a peça não é mais só sobre ela. É sobre todas essas pessoas. E sobre quem a assiste também. O texto nasceu da necessidade de levar aos espectadores uma história real, mas sem sentimentalismos. Apesar do tema, a peça é coloridaça, uma peça para cima”, diz o ator.

As apresentações em Belo Horizonte ocorrem de 17 a 19 de março, sexta às 21h e sábado e domingo, às 19h, no Teatro de Bolso do Sesiminas.

O Teatro em Movimento é realizado via Lei Federal de Incentivo à Cultura. “Em “Mamãe”, o público vai encontrar no palco um ator muito corajoso, inventivo e com uma disposição corporal incrível. Trata-se de uma interpretação moderna, de um assunto que está muito próximo de nós, muita gente passa pela perda da mãe. A peça traz uma reflexão também da relação médico, paciente e família, quando o hospital vira uma residência. É tocante, um espetáculo para emocionar”, adianta Tatyana Rubim, idealizadora e curadora do Teatro em Movimento.

A montagem

Depois da arquiteta Marpe Facó receber um diagnóstico de um tumor cerebral, em 2010, Álamo Facó vivenciou 100 dias de uma verdadeira jornada emocional. Sempre ao seu lado, o ator e dramaturgo acompanhou em detalhes o tratamento, a luta e o dia a dia de sua mãe. Após seu falecimento, mergulhou em um processo de criação que chamou de “A Síntese do Relevante”, de onde nasceu o monólogo “Mamãe”. Influenciado por artistas como Sophie Callle, Lygia Clark e Bruce Nauman, a peça não traz o drama exacerbado das histórias com essa temática, nem tampouco sua estética traz os tons pastéis de um hospital. A peça tem como prioridades, o encontro com o espectador e a busca pelo ineditismo, como possibilidade.

O espetáculo estreou dia 3 de dezembro de 2015 e é o segundo monólogo da carreira de Álamo Facó. “Mamãe” foi construído através de parcerias entre o ator / dramaturgo e pessoas pelas quais cultiva respeito e admiração. “Esse é um espetáculo híbrido. Eu estou envolvido em todos os âmbitos da peça. Eu a dirijo, mas ao mesmo tempo, convido o César Augusto, que é um artista que eu admiro muito, para colaborar na direção. Com a Bia Junqueira, que é uma artista plástica completa em quem confio e admiro, a mesma coisa, chamo para criar uma instalação/cenário comigo. E isso se estendeu ao figurino, iluminação, som, tudo!”. A parceria profissional de Álamo Facó e César Augusto teve início quando o ator começou a frequentar as oficinas na Cia dos Atores e se desenvolveu no primeiro trabalho que levou a assinatura dos dois, o espetáculo Segundo o ator, Talvez foi um dos primeiros monólogos brasileiros a ser escrito e encenado por um brasileiro em sete  países na Europa e América Latina (Inglaterra, Escócia, Berlim, Amsterdam, Chile, Argentina e Lisboa). Em 2015, voltam a se encontrar na montagem de Mamãe, que traz à cena as reflexões desses dois artistas contemporâneos que se destacam como expoentes da cena teatral do Rio de Janeiro. Mamãe traz à cena o olhar dos dois, que estão dispostos a vasculhar as entranhas de uma experiência pessoal para compartilhá-la com o espectador.

Ficha Técnica

Texto e atuação: Álamo Facó / Direção: Álamo Facó e César Augusto / Cenário e Instalação: Álamo Facó e Bia Junqueira / Desenho de Som: Rodrigo Marçal / Luz: Felipe Lourenço / Trilha Sonora: Álamo Facó e Rodrigo Marçal / Direção Musical do Performer: Lan Lanh / Figurino: Ticiana Passos / Preparação Vocal: Sônia Dumont / Fotos: Miguel Pinheiro e Marcos Gullo / Projeto gráfico: Mary Paz / Direção de produção: Sérgio Saboya / Produção: Galharufa Produções / Colaboração Artística: Alice Cavalcante, Dandara Guerra, Luciana Brittes, Fernando Eiras, Tamara Barreto, Cristina Flores e Renato Linhares

 

SERVIÇO:

Mamãe, com texto, direção e atuação de Álamo Facó

Duração: 70 minutos/ Classificação: 12 anos / Gênero: Drama /

Data/ Horário: 17 a 19 de março, sexta às 21h e sábado e domingo, às 19h

Local: Teatro de Bolso do SESIMINAS – Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia

Ingressos:

R$ 40,00 inteira e R$ 20,00 meia-entrada

Meia entrada válida para maiores de 60 anos e para estudantes devidamente identificados (conforme MP 2208/2001)

 | 

Mamãe


Data
17, 18 e 19 de março - sexta às 21h, sábado e domingo às 19h
Direção
Álamo Facó e Cesar Augusto
Outras informações
(31) 32417181 – Site: http://teatroemmovimento.art.br/
Realização
Patrocínio
Promoção Cultural
Apoio
Hotel Oficial
Produção