Minha Vida em Marte

Minha Vida em Marte

A peça é a continuação da saga de Fernanda, personagem que surgiu pela primeira no teatro em 2005, quando Mônica Martelli lançou a comédia “Os Homens São de Marte… E é pra Lá que eu Vou” sem imaginar o sucesso que o espetáculo protagonizado e escrito por ela alcançaria. Nem tampouco esperava a reviravolta que Fernanda, a personagem que criou para falar de amor e discutir o empoderamento feminino (muito antes da expressão cair no gosto popular) faria em sua trajetória pessoal. A autora, então com 36 anos, viu a peça tornar-se um sucesso sem precedentes ao alcançar mais de 2,5 milhões de espectadores e dar origem a um longa homônimo – que arrastou mais de 2 milhões pessoas para os cinemas – e a uma série televisiva com o mesmo título que já está em sua terceira temporada no GNT, sendo uma das maiores audiências do canal.

Doze anos depois, aos 48 anos, Mônica repete o sucesso de sua peça precursora. Minha Vida em Marte, dirigida pela irmã Susana Garcia, traz de volta Fernanda, agora com 45 anos, à procura de respostas para a sobrevivência conjugal. “Demorei para fazer esta peça porque sei que só é possível falar com propriedade sobre um assunto quando se consegue olhar para ele com distanciamento”, resume a autora que, tal qual sua personagem, conhece a fundo a dor da separação. Tendo como suporte suas próprias experiências, Mônica leva ao teatro um monólogo bem-humorado que aproxima através do riso e leva homens e mulheres à reflexão. E assim a atriz se confirma como uma das autoras brasileiras que melhor traduzem o comportamento feminino moderno.

“Minha Vida em Marte” chega a Belo Horizonte em uma realização do Festival Teatro em Movimento com o patrocínio da Rede e Unimed, via Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Sinopse

Se “Em Os Homens São de Marte…” Fernanda estava em busca do amor, em Minha Vida em Marte a personagem agora está casada há oito anos com Tom, com quem ela teve uma menina de 5 anos: Joana. Este é o pano de fundo para a protagonista se questionar na terapia de grupo. É nas sessões de análise que ela narra e vivencia deliciosamente as alegrias e os muitos problemas do seu casamento. Ali ela expõem assuntos íntimos, como por exemplo a falta de tesão, ou as tentativas de “trabalhar a relação”, e percebe que nas relações estagnadas, adia-se o afeto e acumula-se mágoas. “É muito comum no casamento que a gente deixe para amanhã a ternura, o sexo e a tolerância. E quando percebemos, a família que tanto sonhamos está por um fio”, revela Mônica sobre o destino de Fernanda.

Fernanda será capaz de superar a crise ou será preciso se separar? Vale a pena enfrentar a solidão? São questões que sob a ótica de uma mulher bem-sucedida vão permear essa história que toca ainda em temas como traição, machismo, trabalho duplo da mulher e educação dos filhos. Minha Vida em Marte é um texto libertador que foi escrito sob a premissa de que ser feliz é fundamental.

Minha Vida em Marte


Data
14 e 15 de abril. Sábado, às 18h (SESSÃO EXTRA) e 21h e domingo, às 19h
Classificação
14 anos
Duração
70 minutos
Ingressos
Plateia I: R$90,00 (inteira) e R$ 45,00 (meia) / Plateia IB: R$80,00 (inteira) e R$ 40,00 (meia) / PlateiaII: R$60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia)
Direção
Susana Garcia
Outras informações
(31) 2825420
Realização
Patrocínio
Promoção Cultural
Apoio
Hotel Oficial
Produção